seguro de vida
seguro de automóveis
seguro residencial
seguro de renda hospitalar
08/05/2014
Cinco passos necessários para comunicar um acidente à seguradora

Um acidente de trânsito causa uma série de transtornos e imprevistos. Ainda que sejam frequentes nas grandes metrópoles, poucas pessoas – mesmo as que possuem uma seguradora – sabem a maneira correta de agir, estando na posição de vítima ou na de causadora.

De acordo com Gustavo Heaser, corretor na Heaser Seguros de Santa Cruz do Sul, manter a calma é a melhor solução, visto que uma discussão para saber quem é o verdadeiro culpado, além de não solucionar o problema, pode agravar o acontecimento. “Se o condutor tem consciência de que causou o acidente, o melhor a fazer é pedir desculpas imediatamente e se mostrar prestativo com a vítima”, afirma.

A fim de evitar mais contratempos, seguem cinco dicas para os condutores não terem complicação ao registrar o sinistro (qualquer evento em que o bem segurado sofre um acidente ou prejuízo material) e obterem resposta positiva da seguradora para o reparo do veículo:

1- Não minta e atente-se aos detalhes. É fundamental que o segurado forneça informações corretas durante a contratação. Será no momento da investigação do sinistro que a seguradora verificará a veracidade dos dados da apólice. Por exemplo, se for comprovado que o filho de 19 anos, que não é coberto pelo seguro, dirigia no momento do acidente, a seguradora está no direito de recusar o pagamento do sinistro. É muito importante, também, controlar o trabalho do corretor antes de assinar qualquer proposta, pois um dado preenchido incorretamente pode significar a negativa de um sinistro.

2- Anote todos os dados. Após uma colisão acidental, colete todas as informações do automóvel envolvido (placa, modelo, marca e cor do veículo) e troque contatos com o terceiro. Também é interessante registrar com fotos as circunstâncias do acidente. Esses dados serão utilizados na identificação dos carros envolvidos e a posição deles após a batida. A remoção rápida dos veículos para liberar o trânsito, praticada pela CET, pode dificultar a atribuição de responsabilidade mais tarde.

3- Registre um B.O. Caso haja feridos, chame a polícia para execução de Boletim de Ocorrência no local e realização de primeiros socorros da vítima. Se não houver pessoas machucadas é mais recomendado que os envolvidos se dirijam ao Distrito Policial mais próximo. É importante que ambos façam o registro do B.O. juntos, pois, dessa maneira, são evitadas divergências entre as versões do ocorrido.

4- Mantenha sua CNH válida. As condições gerais das seguradoras estipulam que o veículo segurado tem que ser conduzido por uma pessoa devidamente habilitada, o que não é o caso de quem tem a carteira vencida ou apreendida.

5- Prefira oficinas credenciadas pelas seguradoras. O mais indicado é realizar o conserto do veículo em estabelecimentos credenciados pela seguradora, já que a empresa se responsabiliza pelo fornecimento das autopeças. A chance de uma oficina parceira ficar sem material para finalizar o reparo será bem menor em relação a qualquer outro local. Com isso, o prazo do conserto será cumprido. Além disso, algumas seguradoras oferecem desconto na franquia ou carro reserva gratuito, a fim de estimular a utilização dos serviços das oficinas parceiras. Se o seu carro ainda está na garantia, você também tem a opção de realizar o conserto pela concessionária, isso não dá desconto na franquia ou carro reserva, mas evita eventuais problemas com a garantia.

HOME | ATENDIMENTO A SINISTROS | TRABALHE CONOSCO | MAPA DO SITE

Haeser. Marca registrada. Todos os direitos reservados. Copyright 2010